Rituais de auto-cuidado TPM

Vaporização do Útero- Medicina Ancestral Feminina

A vaporização do útero é uma Tradição milenar de auto-cuidado Feminino.
Uma prática ancestral que vem resgatar a natureza da Mulher Medicina que habita em nós.

Com a vaporização podemos obter imensos benefícios físicos e energéticos, através do calor, humidade e das ervas medicinais.
Entre os imensos benefícios que podemos obter com esta prática destaco:

Melhorias da lubrificação vaginal
Minimização sintomas TPM e menopausa
Aumento da fertilidade
Redução de cólicas
Regulação dos Ciclos Menstruais

A Deusa que habita em Mim

Ao longo da nossa vida e do nosso ciclo menstrual, fértil e menopausa dançamos entre diferentes energias que habitam em nós. Reconhecer as fases e os diferentes Arquétipos que se manifestam ajudar-nos-à a compreender, conhecer e a melhorar a relação com nós mesmas e consequentemente com a nossa realidade e teia de relações.
Depois do mergulho na noite escura da nossa Alma, reencontramos a Deusa em nós… Feito este reconhecimento estamos a passos de reconciliar com o nosso feminino sagrado.

Arquétipos e as fases da Lua

🌑Lua nova
Menstruação
Deusa Hécate- introspecção, enraízamento, descanso, fazer escolhas sábias.
Estação do ano correspondente é o Inverno.

🌓Quarto Crescente Pré-ovulação
Deusa Ártemis- Vontade de fazer, acção; energia, Empoderamento.
Estação do ano correspondente é a Primavera.

🌕Lua Cheia Ovulação
Deusa Deméter- Criatividade, expressividade, harmonia, fertilidade, abundância e plenitude.
Estação do ano correspondente é o Verão.

🌗Lua Minguante TPM
Deusa Perséfone-criação, meditação, saber deixar ir, intuição, conexão com a luz e sombra.
Estação do ano correspondente é o Outono.

Mulher Medicina

As terapias populares assentam numa estrutura construída ao longo dos séculos.Às propriedades medicinais das plantas juntou-se um elemento potenciador, a crença na eficácia associada à fé, à religião e por vezes a um mundo mágico e simbólico.

Herdamos das nossas ancestrais um conhecimento antigo, guardado de geração.
Quantas de nós já recorremos com regularidade às mezinhas, tisanas e até mesmo a benzedura?

Chegou o momento de relembrar a Mulher Medicina que habita em nós, aceder a ela e a todos os seus mistérios, assim, curamos o nosso corpo e alma e consequentemente toda a nossa Teia de relações.

“Mulher Medicina não é a Mulher que Cura, Mulher Medicina é a Mulher que Ama.”